FOLK FAN BRASIL

BEM VINDO AO BLOG SOBRE MÚSICA FOLK

domingo, 26 de dezembro de 2010

Poesias Sinceras - Recanto das Letras

Poesias sinceras com palavras escolhidas com afeto que transformam pensamentos em orações...

Parabéns pelas poesias...


Amor Perfeito

"Amor Perfeito? Só nos contos de fada ou
plantados no jardim"...

Valrita

Fonte: http://recantodasletras.uol.com.br/pensamentos/2463477

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

BOB DYLAN - DVD NÃO AUTORIZADO





RARIDADE : The Best Of Bob Dylan.

Um DVD do cantor e compositor Bob Dylan está a venda nas Lojas Americanas. Uma espécie de Bootleg das aparições televisivas do Mr. Zimmermann que pode interessar aos seus fans. Os vídeos foram retirados de especiais para TV, sendo assim, há pouca qualidade no áudio e vídeo. Mas a preciocidade está na seleção das músicas incluindo algumas raridades como "Livin´the Blues" e as canções do albúm Gospel "Slow Train Coming", entre elas : "Gotta Serve Somnebody", "When You Gonna Wake Up" e "I Believe in You".

O DVD está disponível nas lojas Americanas pelo preço de R$ 9,99.

Site para maiores informações: http://www.rockstorybrasil.com.br/

Obs. Segundo os produtores este vídeo é um Documentário independente de cunho jornalístico destinado aos fans... E por falar nisso espero que seja lançado em breve algo semelhante para artistas esquecidos pela mídia brasileira: Richie Havens, Emmylou Harris, Joan Baez, Pete Seeger, Donovan, Melanie Safka, The Byrds, Odetta, John Prine, entre outros.

by Roger LS


quinta-feira, 18 de novembro de 2010

RISCOS



RISCOS DE VIDA NA IDA AO TRABALHO
RISCOS IRADOS DE GRAFITE NO MURO
RISCOS QUE DESVALORIZAM O CD NO SEBO
RISCOS QUE TIRAM O BRILHO DO VERMELHO FERRARI DE UM CARRO

RABISCOS RISCAM A FOLHA ATÉ RISCAR A MESA DE VIDRO
VIDRO RISCADO POR GANGUES EM ÔNIBUS
RISCO QUE INDICA O VANDALISMO DESGOVERNADO DE GANGUES
MANOS RISCADOS DE UM FUTURO PROMISSOR
DEVIDO À EDUCAÇÃO TER SIDO RISCADA DE SUAS VIDAS

ARRISCO FALAR DO BREVE TEMPORAL
QUE RISCA O CÉU COM VIOLENTAS TEMPESTADES ATMOSFÉRICAS
RISCO DE GRANIZO E VENDAVAL

RISCOS QUE TIRAM A NITIDEZ DA TELA DE LCD
RISCO DE FALHA DE TRANSMISSÃO
RISCOS FEITOS POR PALHA DE AÇO
RISCAM O MÓVEL NOVO OUTRORA SEM RISCO.

by Roger LS

Imagem: http://tecnocientista.info/Imagens/applications/PhotoGalleryManager/images/relampagos_raios_2.jpg

JAKOB DYLAN - WOMEN AND COUNTRY


Jakob Dylan: Women and Country


Em 2008, Jacob Dylan lança o primeiro álbum solo "Seeing Things".
Seus trabalhos anteriores foram cinco álbums gravados com a banda Wallflowers: "The Wallflowers", de 1994, o insuperável "Bringing Down the Horses", de 1996, "Breach", de 2000, "Red Letter Days", de 2002 e o último "Rebel Sweetheart" de 2005.
 Mas o produtor faz a grande diferença e tal como “Bringing Down the Horses” , o disco "Women and Country" (2010) teve a produção de T-Bone Burnett, mestre em produção de grandiosos albums da categoria Folk.
T-Bone Burnett ficou conhecido pela produção da trilha sonora do filme "O Brother, Where art Thou?" além de produzir albums para a cantora e compositora "Gillian Welch"

Com sonoridades que se aproximam ao folk e ao country Jakob também é auxiliado por vocais femininos (Neko Case e Kelly Hogan), uma característica que renovaria a carreira do pai (Bob Dylan) a partir do álbum Desire (1976) quando a cantora country/folk Emmylou Harris trouxe musicalidade ao vocal de Bob Dylan.

Melhores canções: "Lend A Hand", "Truth For A Truth", "Nothing But The Whole Wide World" e "Standing Eight Count".

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

We Shall Be Free - Nós Seremos Livre




We Shall Be Free - Nòs seremos LivresGarth Brooks
Composição: Stephanie Davis - Garth Brooks

This ain't comin' from no prophet
Isto não vem de nenhum profeta
Just an ordinary manApenas uma ideia de um simples homem
When I close my eyes I see
Quando eu fecho meus olhos
The way this world shall beImaginando o modo pelo qual este mundo poderia ser:
When we all walk hand in handQuando todos caminharemos de mãos dadas
When the last child cries for a crust of bread Quando a última criança clamar por uma casca de pão
When the last man dies for just words that he saidQuando o último homem morrer por causa de suas verdades
When there's shelter over the poorest head
Quando houver ombros acima da mais pobre cabeça
We shall be free
Aí sim - Nós seremos livres

When the last thing we notice is the color of skinQuando a última coisa que notaremos será a cor da pele
And the first thing we look for is the beauty withine a primeira somente procurar pelo mais belo
When the skies and the oceans are clean again Quando o céu e o mar estejam limpos novamente
Then we shall be free Aí sim - Nós seremos livres
We shall be freeNós seremos livres
We shall be freeNós seremos livres
Stand straight, walk proudMantenha-se firme, caminhe com orgulho
'Cause we shall be freePois, seremos livre
When we're free to love anyone we chooseQuando nós seremos livre para amar alguém que nós escolhemos
When this world's big enough for all different views Quando este mundo ser suficiente grande para todos os diferentes pontos de vista
When we all can worship from our own kind of pew Quando nó todos sejamos respeitados pelo tipo de fé que possa existir em cada um...
Then we shall be free Aí sim, nós seremos livre
We shall be free Seremos livre
We shall be free Seremos livre
Have a little faith Ter um pouco de fé
Hold outSobreviver
'Cause we shall be free Pois, nó seremos livre
And when money talks for the very last time E quando o dinheiro fala pelos últimos tempos
And nobody walks a step behindE ninguém caminhe um passo atrás
When there's only one race and that's mankindQuando houver somente uma raça e todos sendo gentis
Then we shall be free Aí sim, nós seremos livre
We shall be free Seremos livres
We shall be freeSeremos livres
Stand straight, walk proud, have a little faith, hold outMantenha-se firme, caminhe com orgulho, tenha um pouco de fé, resista
We shall be freeNós seremos livres
We shall be free Nós seremos livres
We shall be freeNós seremos livres
Stand straight, have a little faith
We shall be free

A primeira vez que escutei esta canção foi no disco Yes, We can - de Maria Mulduar em dueto com as cantoras Odetta e Joan Baez. É uma das canções da atualidade que nos faz refletir sobre nossas opiniões, as dos outros e o modo de viver de cada um que se não respeitados nos farão prisioneiros de uma vida sem liberdade, presa a falsos valores e padrões que  nos fazem viver dentro de nossa própria prisão - e esta música representa bem esta realidade pelo qual muitos passam e que se um dia a gentileza, a liberdade de expressão e o fato de esquecer de criticar os irmãos por causa de uma ou outra crença, erros do passado, etc aí sim - seremos livres. 

A tradução by Roger LS

domingo, 10 de outubro de 2010

JOAN BAEZ - RARE LIVE FRENCH SONG



Tu avais juste dix-huit ans
Quand on t'a mis un béret rouge,
Quand on t'a dit : "Rentre dedans
Tout ce qui bouge."
C'est pas exprès qu' t'étais fasciste,
Parachutiste.

Alors, de combat en combat,
S'est formée ton intelligence.
Tu sais qu'il n'y a ici-bas
Que deux engeances :
Les gens bien et les terroristes,
Parachutiste

Puis on t'a donné des galons,
Héros de toutes les défaites
Pour toutes les bonnes actions
Que tu as faites.
Tu torturais en spécialiste,
Parachutiste.

Alors sont venus les honneurs,
Les décorations, les médailles
Pour chaque balle au fond d'un cœur,
Pour chaque entaille,
Pour chaque croix noire sur ta liste,
Parachutiste

Mais, malheureusement pour toi,
Bientôt se finira ta guerre :
Plus de tueries, plus de combats.
Que vas-tu faire ?
C'est fini le travail d'artiste,
Parachutiste.

C'est plus qu'un travail de nana
D' commander à ceux qui savent lire,
Surtout qu' t'as appris avec moi
Ce que veut dire
Le mot " antimilitariste ",
Parachutiste.

T' as rien perdu de ton talent,
Tu rates pas une embuscade
Mais comme on n' tire pas vraiment,
Tu trouves ça fade.

C'est pt'êt pour ça qu' t' as les yeux tristes,
Parachutiste.

Mais si t' es vraiment trop gêné
D'être payé à ne rien faire,
Tu peux toujours te recycler
Chez tes p'tits frères.
J' crois qu'on engage dans la Police,
Parachutiste.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

ESPELHO CONTRA A INDIFERENÇA


Espelho Contra a Indiferença

Para viver bem um bom conselho

Fazer a vida como um espelho

Seguir os mesmos passos

De um bom compasso

Imitar quem a vida condiz

Desde o Mestre dos mestres o que no evangelho nos diz

Nas boas ações exemplares

Espelhar de bom agrado em nossos lares...

Em Jesus espelhar a caridade o perdão e a luz.

Em Maria aprender a importância

Do que é o amor autentico.

Em São Francisco também arrisco

Respeito à natureza indefesa...

Seguir as idéias de Ghandi que pregou a intolerância.

Martin Luther King com um sonho de liberdade e fraternidade

Na América do racismo.

Quanto tempo na prisão

Vale a nós a lição

Força e espírito de raça Nelson Mandela.

Simplicidade que existe viaja na história em terceiros mundos distantes

Seguir a bondade da Irmã Dulce do Brasil que em

Salvador os pobres ajudava

Oprimida Índia contou com a ajuda de Madre Teresa de Calcutá

Ou ser mártir da natureza por terras de direito

A um povo humilde brava luta Irmã Dorothy

Amado Chico Mendes nas lições de sustentabilidade.

Vencer embora aparentemente derrotada a guerrilha de falsa causa

Que aguentou na floresta com a força de

uma mulher, Ingrid Betancourt.

Não esquecer as crianças que tanto encanta

Grandioso trabalho de milhares

graças a Dra Zilda Arns e sua abençoada receita.

Espelhar também instituições

Greenpeace, Bread & Roses , Humanitas

Anistia Internacional, Unicef e Amigos da Escola.

Outras Ongs também fazem ou fizeram suas diferenças

E a tantos que trabalham no anonimato

Prestando ajuda a humanos ou a animais indefesos

Parabéns a todos que continuam a se espelhar

Nos que fizeram o lado bom da história

Na caridade, na espiritualidade.

Todas são simples pessoas que por si só já fazem a diferença.


by Roger LS

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

BLOG FOLK MUSIC & POETRY APOIA MARINA PRESIDENTE







CONTRA QUEM JÁ CANTA A VITÓRIA VAMOS DIZER UM NÃO...
MARINA SILVA PARA UM PAÍS MELHOR É A SOLUÇÃO...
VOTE MARINA SILVA - VICE GUILHERME LEAL

Yes - We can! Sim - Nós Podemos! Ya - Wir Können!
Vote 43
CAETANO VELOSO ADRIANA CALCANHOTO E GILBERTO GIL VOTAM 43

VOTE PV - PARTIDO VERDE - O PARTIDO DA VERDADE
NÃO VOTE PT - O PARTIDO DOS CORRUPTOS.
SEJA CONSCIENTE - VOTE EM GENTE DE VALOR - MARINA SILVA PRESIDENTE

SOBRE A GRAVIDADE DOS FATOS:
RETIRADO DO BLOG DO COLUNISTA DA VEJA REINALDO AZEVEDO - PUBLICADO EM 4 DE SETEMBRO DE 2010


O TEXTO ABAIXO É DE AUTORIA DO COLUNISTA DA VEJA REINALDO AZEVEDO E NÃO INDICA NECESSARIAMENTE O APOIO A UM OU OUTRO CANDIDATO DA OPOSIÇÃO, MAS SIM APELA AO QUE CHAMA DE “MODO DA RESISTÊNCIA INSTITUCIONAL".

CHEGOU A HORA DE A CAMPANHA DA OPOSIÇÃO ENTRAR NO “MODO DA RESISTÊNCIA INSTITUCIONAL”. É PRECISO CHAMAR LULA ÀS FALAS!
A gravidade das violações de sigilo na Receita Federal subiu estupidamente de patamar depois da fala de ontem de Lula, no Rio Grande do Sul. Ela pede uma reação enérgica da oposição — e não cabe nem mesmo o cálculo se uma resposta à altura dá ou tira votos. Estou convencido, sem prejuízo de o tucano José Serra continuar a apresentar suas propostas, de que a campanha da oposição entra no que eu chamaria “Modo de Resistência Institucional”. Ontem, Lula usou a sua popularidade para pedir carta branca à sociedade para fazer o que bem entende. É preciso dizer com todas as letras: ONTEM, LULA REIVINDICOU O DIREITO DE DAR UM GOLPE DE ESTADO, tendo, circunstancialmente, as urnas como arma.

Se alguma dúvida havia sobre o compromisso de Lula com a democracia, ela se desfez ontem. Não tem compromisso nenhum! Está evidenciado que ele a usa como arma tática e que a escalada petista supõe a desconstrução do estado de direito conforme nós o conhecemos. É a Constituição da República Federativa do Brasil que está sendo fraudada com as invasões de sigilo. Um órgão do Estado, a Receita Federal, converteu-se, como tem deixado claro o notável trabalho de reportagem do Estadão, em instrumento de luta de um partido político. E tudo caminha para que mais esse crime reste impune.

Sim, agora é preciso entrar no MODO DE RESISTÊNCIA INSTITUCIONAL. E o próprio presidente Lula — pouco importa se sua popularidade atingiu 8795%, segundo a última medição Vox Diaboli — tem de ser chamado às falas. Ele passou de todos os limites. Ontem, comentando a questão da invasão de sigilos — e ele estava numa solenidade em que falava como presidente! — afirmou que “Serra precisa saber que eleição a gente ganha convencendo os eleitores a votar na gente, não tentando convencer a Justiça Eleitoral a impugnar a adversária”. Para Lula, “isso já aconteceu em outros tempos, na ditadura militar.” E recomendou: “Na democracia, o senhor Serra que vá para rua, que melhore a qualidade de seu programa [de TV]“. Lula classificou ainda o episódio — a violação da Constituição — de “futrica menor”.

O sr. Lula precisa saber que, na democracia, “a gente convence o eleitor a votar na gente” segundo regras — todas aquelas que o PT tem desrespeitado sistematicamente. Na democracia, a gente “vai para a rua” não para pisotear as leis, mas para pedir a sua efetiva aplicação. Método típico de uma ditadura é fraudar o sigilo fiscal e bancário de adversários. Método típico de uma ditadura é organizar bunkers de bandidos para produzir dossiês. Método típico de uma ditadura é querer criar constrangimentos morais para que as pessoas exerçam o direito, também ele constitucional, de recorrer à Justiça. Método típico de ditadura é considerar a violação da Constituição mera “futrica”.

Toda essa baixeza merece uma resposta à altura das instituições que ela fere. Não estou entre aqueles, mesmo!, que consideram que a eleição já está decidida e coisa e tal. Já disse os motivos e não vou repisá-los. Mas acho que essa questão, agora, ficou menor. Outro valor mais alto se alevanta. Se o custo de a oposição dizer o que tem de ser dito — QUE O PRESIDENTE LULA, NA PRÁTICA, PROTEGE CRIMINOSOS AO DAR DECLARAÇÕES COMO A DE ONTEM — for perder votos, que assim seja. Com quantos a democracia e o estado de direito, VIVIDOS NA PRÁTICA, podem contar? Pois que a causa siga com estes bons. Bento 16 afirmou certa feita, não com estas palavras, mas o sentido era este, que a Igreja se fortalece recuperando a dimensão de sua fé, não condescendendo com valores que lhe são estranhos; a sua permanência está nos valores de sua doutrina, ainda que isso lhe custe perder os fiéis… infiéis. Exato!


As lideranças do país que deploram a contínua violação da Constituição, das leis e do decoro têm apenas um caminho: voltar ao livro-texto da democracia e do estado de direito e repudiar, sem meias-palavras, o discurso irresponsável de Lula. Sua popularidade não lhe dá o direito de jogar a Carta que nos rege — ou deveria nos reger — no lixo. O regime democrático não se define apenas pela realização das eleições. Elas são um dos instrumentos do exercício da soberania popular. O sufrágio universal não elege ditadores, mas procuradores do estado de direito.

Indignidade
A reação tem de ser dura, severa, clara. E saiba a oposição: enfrentará, à diferença de outros tempos, a maledicência até de setores da própria imprensa, que passaram a chamar a Justiça de “tapetão”, em mais um claro sintoma da degradação de valores que está em curso. Trata-se de uma óbvia indignidade. A maioria que o PT teria hoje nas urnas, segundo esse raciocínio, permitiria, então, a esses majoritários fraudar as próprias leis que legitimam o pleito que disputam. As instituições existem justamente para que os homens se sucedam no poder sem que as balizas que nos orientam sejam derrubadas. Esse já foi um dia um norte da imprensa brasileira, quase sem exceções. Hoje, os áulicos e candidatos a tanto contaminam o ambiente com sua tese da maximização da vontade popular: se o governante tem a maioria, então faz o que bem entende — e isso inclui esmagar a minoria. Ora, tão importante na democracia quanto o governo da maioria é o respeito à minoria que lhe dá legitimidade. Mas será mesmo isso o que quer o PT?

Hora de perceber a gravidade da questão e de ter uma reação correspondente — nem que seja, reitero, para mobilizar os poucos e bons. Assim me expresso apenas para encarecer o momento já que, de fato, são milhões os brasileiros que não estão dispostos a ceder a Lula e ao PT os seus direitos constitucionais. Fossem apenas os 300 de Esparta, então se deveria lutar com eles. Mas há muito mais gente do que isso pronta para resistir.

CHEGOU A HORA DE A CAMPANHA DA OPOSIÇÃO ENTRAR NO “MODO DA RESISTÊNCIA INSTITUCIONAL”. É PRECISO CHAMAR LULA ÀS FALAS. TALVEZ ISSO CUSTE AINDA MAIS VOTOS. PARA O VALOR QUE SE QUER E QUE SE TEM DE PRESERVAR, ELES NÃO FAZEM FALTA.

Perder a eleição é do jogo. Não dá é para perder a vergonha!

Por Reinaldo Azevedo
Tags: estado policial, Sucessão 2010

FONTE:http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/

sábado, 28 de agosto de 2010

RICHARD FARINA´S FIRST ALBUM



"Dick Fariña & Eric von Schmidt" 1963
Vinyl RIP by Jhonny #4

Surfando na Internet achei esta preciosa gravação do (já falecido) porém, grandioso poeta, cantor, escritor e "Dulcimer player" Richard Farina em trabalho conjunto com o cantor de Blues e desenhista de capas de discos Eric Von Schmidt. Raízes da Folk Music, Blues, Instrumental em dulcimer são os ingredientes deste clássico da música folk gravado em 1963 e que segundo a lenda contou com a participação instrumental de Bob Dylan sob o pseudônimo de Blind Boy Grunt.
No mesmo site, logo abaixo, esta o disco que também nunca foi editado em CD - Take Heart da cantora Mimi Farina em dueto com Tom Jans.
O site possui outras raridades que nunca foram lançadas em Cd, ripadas de discos de vinil, aclamado por revistas do gênero musical como a "Roling Stones".
Fonte da pesquisa e Site: http://time-has-told-me.blogspot.com/2008/03/by-jhonny-4.html

his was an impromptu recording made in London on January 14 and 15, 1963. Joining Fariña and von Schmidt were Ethan Signer (of the Charles River Valley Boys) on fiddle, mandolin, and guitar, and occasionally Blind Boy Grunt. Blind Boy Grunt was of course the pseudonym of Bob Dylan, whose Columbia contract prevented his real name from appearing on the album.

This is a crude, one-track, one-microphone recording, and although it is an enjoyable collection of American folk songs, it's quite a stretch from the unique style that Fariña later developed with Mimi. It doesn't offer any great revelations into Fariña's art or vision, but it does provide some early samples of his dulcimer playing, which is featured on "Old Joe's Dulcimer," "Wildwood Flower," and "Lonzo N'Howard," and less prominently in "London Waltz." Fariña sings lead vocal on "Wobble Bird," and "XMas Island" and unaccompanied vocal on "Riddle Song." He contributes back-up vocals and harmonica on other tracks. Fariña gives himself a writing credit for "XMas Island" and "London Waltz," but ironically these are two of the most negligible tracks. The most interesting songs for Richard & Mimi fans are the medley "Old Joe's Dulcimer," which is a forerunner of "Celebration for a Grey Day," and "Wobble Bird," which is an adaptation of "The Cuckoo," upon which "The Falcon" was based. His alteration of the lyrics in "Riddle Song" also gives a foretaste of his creative adaptation of traditional tunes. Another interesting connection with later work is "Stick With Me, Baby" (an adaptation of Furry Lewis' "Dry Land Blues"), which includes the lyrics,

"I been down so long, seem like up to me,
Gal of mine got a heart like a rock in the sea"

But, again ironically, it is Eric von Schmidt who sings this song. In fact, the songs featuring Eric solo or prominently are the most professional-sounding tracks!

Dylan fans should be advised that Bob's contributions are minimal, and his presence on the record really cannot be felt in any significant way. He supplied back-up vocals and/or harmonica on four tracks: "Glory, Glory," "Overseas Stomp," "Xmas Island," and "Cocaine."

Para download clicar no ícone DL

DL (no site)

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

CURITIBA





Calçadão da Rua XV do bonde parado
Onde bocas malditas ditam a notícia do dia.
Ligeirinhos lotados atrasados
Fluem passageiros em tubos de vidro
Que agüentam o vento gelado encanado
Pequenos detalhes em cada parque
Torna a cidade um destaque.
Em Santa Felicidade
Gastronomia que traz cumplicidade
No centro encontrar
Ao caminhar
Praça que esconde antigo vestígio sob o vidro
Na primavera nela sobressaem os ipês amarelos.
Exuberante Catedral da Praça Tiradentes
Abençoada por Nossa Senhora da Luz
Já na Ruy Barbosa Senhor Bom Jesus
De repente seguindo uma linha no chão
Encontrar nova ordem
Fonte e marco zero
Esperar amigos no Alemão
Um brinde de chope submarino
à Cidade Sorriso de um povo fechado,
mas amado.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Ondas Sonoras



Equalizador gráfico
Multicores de sons
Do grave ao agudo
Mosaico de ondas sonoras
Modificam um estilo
Suavizam vozes
Criado pela física

Aperfeiçoado pela Engenharia
Intensificam instrumentos
Modernidade eletrônica
Conceituam gostos
Corrigem
Divergências de sons
Aperfeiçoado pelos botões
Músicas ganham cores
Estimulam o sentido
Auditivo.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Do Teclado a um Link

Dedos descompromissados com a ocasião
Digitam palavras indefinidas
Cuspidas da mente sem direção
Signos errados
Sem compreensão
Revisados agora,
por quem escreve, ganham espaço
E futura atenção
Quem será meu leitor?
Angústia do momento sem valor.
De que vale o poema se lido?
Ou ficar em uma gaveta escondido?
Quando lido logo esquecido?
Quantos livros jazem em uma biblioteca
até ser descoberto pelo leitor?
Biblioteca eletrônica afinal...
Usar um teclado e um link
E fazer o poema viajar
Pelo espaço cibernético universal
Incógnitos leitores
navegadores da rede mundial.


Imagem: http://www.ipjornal.com/wp-content/uploads/2010/07/internet.jpg

domingo, 1 de agosto de 2010

To sing is to fly / Cantar é viajar pelo espaço


To sing is to love and affirm,
to fly and soar,
to coast into the hearts of people who
listen,
to tell them that life is to live,
that love is there,
that nothing is a promise,
but that beauty exists and must be
hunted for and found.

Joan Baez


Cantar é amar e afirmar,
Viajar no espaço e nele pairar,
Velejar para dentro dos corações das pessoas que escutam,
Para dizer-lhes que a vida é para viver,
Que o amor está ali,
Que nada é uma promessa,
Mas que a beleza existe e precisa ser
procurada e encontrada
.

Joan Baez

sábado, 31 de julho de 2010

O que se Passa no Dia a dia



O que se passa no dia a dia
O que todos têm em comum
Na trilha do dia que passa de quem é empregado
Somar desgostos em horas diárias
No fim do mês já desgastado
O salário
Irônico cantar Joe Hill e Talking Union
E continuar sendo como marionetes
Recebendo ordens e desmandos
Sem direito a reclamação
Caso contrário a demissão
Somos trabalhadores ratos voadores
Andamos e trabalhamos sem direção
Compenetrados nos serviços
Esmagados pela necessidade
Em se viver nesta cidade
Com emprego e ainda sem dinheiro
Não pense que você é insubstituível
Outros já estão por esperar um anúncio
Prenúncio de ocupar o seu lugar
O mundo já anuncia
Desemprego e rebeldia
Tristeza e pobreza
Alimentam a de sempre sociedade burguesa.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

GRANDES PENSAMENTOS 3 - MELANIE SAFKA



"Well ya know I don't know so many things, but I know what's been goin' on; we're only puttin' in a little to get rid of a lot that's wrong."
Melanie Safka


“Bem, eu sei que não conheço bem muitas coisas, mas eu sei o que está acontecendo; nós apenas investimos um pouco no intuito de nos livrarmos de muita coisa que está errada.” Melanie sobre os atuais acontecimentos.

BEAUTIFUL PEOPLE - MELANIE SAFKA


Beautiful people / Pessoas bonitas
You live in the same world as I do /
Vocês vivem no mesmo mundo que eu
But somehow I never noticed/
Isto de certa forma nunca reparei
You before today /
Até o dia de hoje
I`m ashamed to say /
Estou envergonhado em dizer:
Beautiful people / Pessoas bonitas
We share the same back door/Nós compartilhamos a mesma porta dos fundos
And it isn`t right/
Isto não é correto, pois
We never met before/ Nós nunca nos encontramos antes
But then/
E ainda
We may never meet again/Possamos nunca mais nos encontrar novamente
If I weren`t afraid you`d laugh at me/
Se eu não ficasse com receio de que vocês tirariam um barato de mim
I would run and take all your hands/
Eu correria e pegaria na mão de vocês
And I`d gather everyone together for a day/
E então eu juntaria cada um juntos por um dia
And when we gather`d / E quando nos juntaríamos
I`ll pass buttons out that say/ Eu distribuiria broches que diriam:
Beautiful people/ Pessoas Bonitas
Then you`d never have to be alone/Então vocês jamais ficariam sozinhos
`Cause there`ll always be someone/Pois sempre haveria alguém
With the same button on as you/ Com os mesmos propósitos que você
Include him in everything you do./
Incluindo ele em todas as coisas que você faz.

Beautiful people/Pessoas Bonitas
You ride the same subway/Vocês andam no mesmo metrô
As I do ev`ry morning/
Assim como eu faço todas as manhãs
That`s got to tell you something/ E é necessário dizer algo a mais
We`ve got so much in common/Nós temos muita coisa em comum
I go the same direction that you do/Eu caminho na mesma direção que você
So if you take care of me/Portanto se você toma conta de mim/
Maybe I`ll take care of you/
Talvez eu também cuidarei de você

Beautiful people/Pessoas bonitas
You look like friends of mine/Vocês se parecem como meus amigos
And it`s about time/E isto é sobre o tempo
That someone said it here and now/
A quem um dia disse aqui e agora
I make a vow that some time, somehow/
Eu me entusiasmo sobre o tempo, de qualquer forma
I`ll have a meeting/E terei um encontro
Invite ev`ryone you know/
Convidem cada um que vocês conhecem
I`ll pass out buttons to/E eu passarei os broches para
The ones who come to show/
que a cada um que vier possa mostrar:
Beautiful people/Pessoas bonitas
Never have to be alone/
Nunca ficarão sozinhas
`Cause there`ll always be someone/
Pois sempre haverá alguém
With the same button on as you/
Com o mesmo propósito que você
Include him in ev`rything you do/
Incluindo ele em todas as coisas de importância que você faz
He may be sitting right next to you/Que ele possa estar sentado próximo de você
He may be beautiful people too/Possa ele ser uma pessoa bonita também
And if you take care of him/E se você tomar conta dele
Maybe I`ll take care of you/Talvez possa eu também tomar conta de você.
And if you take care of him
Maybe I`ll take care of you...

“Um amigo fiel é um poderoso refúgio, quem o descobriu tem um tesouro”
Eclesiástico 6: 14

sexta-feira, 9 de julho de 2010

GRANDES PENSAMENTOS 2 - CHER


"Se a praga pode crescer através do concreto, o amor pode encontrá-lo em qualquer época de sua vida." (Cher)

"If grass can grow through cement, love can find you at every time in your life." (Cher)

"Se você realmente quer uma coisa, pode descobrir um meio de fazer acontecer". (Cher)



GRANDES PENSAMENTOS 1 - JOAN BAEZ

"Não nos é dado escolher de que maneira vamos morrer, nem quando. Só podemos escolher como é que vamos viver. Agora."
"Ação é o antídoto para o desespero"
Joan Baez

domingo, 13 de junho de 2010

A música da África do Sul









Vozes da Africa

Mirian Makeba – Nascida em Joanesburgo em 4 de março de 1932 e faleceu na Itália no dia 10 de novembro de 2008. Esta sul-africana foi uma das vozes mais influentes do continente africano, conhecidas pelos sucessos Pata Pata e Malaika, seu trabalho pelos direitos humanos e sua luta contra o apartheid. A cantora ficou internacionalmente conhecida pelo seu trabalho com o músico americano Harry Belafonte, ao qual ganharam um prêmio Grammy em 1965, categoria Folk, no álbum An Evening with Belafonte/Makeba. Participou ao lado de cantor Paul Simon no concerto Graceland, em 1988
Ótimas canções: Sua versão de Mas Que Nada de Jorge Bem cantada em português e I Shall Be Released de Bob Dylan.

Ladysmith Black Manbazo

Escutei pela primeira vez no álbum Graceland de Paul Simon, até hoje uum dos meus discos prediletos na categoria folk/rock.
Ladysmith Black Manbazo é um grupo de capela originário da África do Sul no estilo mbube de cantar. Foi originalmente formado em 1965 por Joseph Shabalala e ficou internacionalmente conhecido após participar do grandioso álbum de Paul Simon: Graceland.
Um de seus discos mais notáveis é o disco com temática cristã Ukukhanya Kwelanga de 1974.
Membros: Joseph Shabalala, Thamsanga Shabalala, Sibongiseni Shabalala, Thulano Shabalala, Mzini Shabalalam Albert Mazibuko, Abednego Mazibuko e Russel Mthembu

Hugh Masekela
Cantor sul-africano nascido em Witbank, em 4 de abril de 1939 e excelente instrumentista. Também participou do Graceland: The African Concert.

Johnny Cleg artista sul-africano nascido em 7 de junho de 1953. Compõs a canção Asimbonanga cantado por Joan Baez no álbum Recently de 1987. Esta canção é uma espécie de hino pela lutas dos grandes líderes sul-africanos contra a segregação racial.

GRACELAND

The moonlight sleeeping on a midnight lake. (Paul Simon and Joseph Shabalala – Homeless)

“Graceland não é apenas um bom disco de um compositor de comprovada competência. É, também, um trabalho que alargas os horizontes da música popular através da engenhosa fusão de três gêneros – o rock, a música folk americana e a moderna música da África do Sul, o mbaqanga, este o principal ingrediente do disco.” Okky de Souza, em “Conexão africana – Revista Veja, 28 de janeiro de 1987.

Graceland é especial, mágico, contagiante – sem dúvida o melhor disco de Paul Simon em carreira solo. Diamonds on her Soles of her Shoes, Under African Skies e Homeless cantadas junto com o Ladysmith Black Manbazo podem ser relembradas como uma ótima trilha sonora para esta Copa do Mundo de 2010, na África do Sul.

Graceland: The African Concert.

Realizado em Harare,no Zimbabwe em 1987 contou com a participação de Paul Simon e diversos artistas da África. Um dos pontos culminantes deste show foi quando Miriam Makeba cantou a belíssima canção tradicional “N´Kosi Sikeleli Africa.

Outras pérolas da canção sul-africana é só conferir no site you tube.

LUA CHEIA




Brilha com esplendor
Na noite enluarada
Solitária e dourada
A frente de todos os astros
Da via láctea.
No céu límpido
Lua cheia de luz
Em que à noite conduz
Solitários e amantes.
Também seu brilho guia os passos
Do caminhante sem destino.
Erradia a luminosidade que encanta
E continua pelo menos esta noite
A vencer com seu encanto
As nuvens que agora tentam
Cobri-la com seu manto.

sábado, 29 de maio de 2010

PAUL SIMON E JOAN BAEZ JUNTOS NOVAMENTE




Joan Baez receberá um premio humanitário no Evento Anual do Fundo de Saúde para as Crianças que contará com a presença do cantor e compositor Paul Simon. O evento será realizado no dia 02 de junho de 2010 na cidade de Nova York.

http://www.childrenshealthfund.org/annual-benefit e http://www.joanbaez.com

Na memória:

In 1981 Paul Simon and Joan Baez performed at the Bread and Roses charity concert. Together they joined on stage and sung a special version of 'The Boxer'. Baez, with her wonderful voice, filled Art Garfunkels space perfectly, although she didn't know the lyrics of the song very good - especially when Paul started to sing the later added verse 'Now they years are rolling...' Very funny performance. Paul said "This is better than Art Garfunkel" and Joan replied, "Where are the 500,000 people.

Em 1981 Paul Simon e Joan Baez cantaram juntos no concerto beneficente “Bread and Roses”. Juntos no palco cantaram uma versão especial de “The Boxer”. Baez, com sua grandiosa voz deu conta de substituir com perfeição o vocal de Art Garfunkel , embora ela não conhecesse a letra da canção por completo, pois Paul Simon adicionou novo verso a canção “Now the years are rolling...”. Mas foi uma versão divertida, pois Paul disse “Está melhor do que (cantar) com Art Garfunkel” e Joan respondeu, “ Mas, então cadê as 500,000 pessoas...”.

Fonte: http://www.paul-simon.info/

quinta-feira, 27 de maio de 2010

FUTEBOL SEM CONTROLE




Futebol Sem Controle

Num agito do apito
Corpo-a-corpo
Bola solta disparada
Contra o gol
Gol contra
Contraponto
Contramão
Da bola que ajuda o inimigo
Vaias sentidas no ouvido
Conflito de técnica
Ou azar do momento
Para o torcedor indignado
Torcer novamente desesperado
Por uma reação.


By Roger LS – Poema escrito em ano de copa do mundo - FIFA 2010- South Africa

segunda-feira, 24 de maio de 2010

JANIS JOPLIN E A MÚSICA FOLK

A imagem que as pessoas têm da cantora Janis Joplin, ícone do rock feminino dos anos 60 é a de musa do rock. A branca que cantava o blues tal como os negros americanos. Antes de ficar famosa no Monterey Pop Festival,em 1967, cantando a grandiosa Ball and Chain, de M. Thorton, Janis cantava em bares do circuito folk em Austin, Texas por volta de 1963 e 1964 cantando acompanhada pelo violão. Na biografia, Janis:Uma Vida uma Época de Alice Echols fala de uma Janis que embora tentasse seguir os moldes de Joan Baez, Judy Collins e Odetta já demosntrava sua futura energia nas interpretações de canções folks como "Silver Threads and Golden Silver", "Stealin", "Mississipi River", "Walk Right IN", "River Jordan","CC Rider", "Mary Jane" e "Careless Love". Estas gravações estão Disponíveis no disco, Janis: Early Performances. Era desta época que o Furacão Janis começava a se formar para então passar arrasando platéias entre 1967 e 1970.

..." Eu sei cantar. E os caras disseram: Corta essa, Janis. Mas eu insisti, e comecei a cantar igualzinho a Odetta. Os caras vibraram". Janis Joplin

..."Um dia eu achei o disco de Odetta numa loja (em Port Arthur, Texas). Comprei o disco e curti muito (...). Odetta cantava canções folclóricas, tinha uma voz muito clara..." Janis sobre Odetta.

Fonte: Janis Joplin: por ela mesma. Martin Claret Editores, org. Atanásio Cosme. São Paulo, 1990.

A cantora Mimi Farina, escreveu esta canção para descrever Janis Joplin, na grandiosa "In The Quiet Morning"

In The Quiet Morning
Lyrics By Mimi Farina
Recorded By Tom Jans & Mimi Farina, Joan Baez e 10,000 Maniacs


In the Quiet Morning
Naquela calma manhã
There Was Much Despair
Houve muito desespero
And in the Hours That Followed
Naquela horas que se seguiam
No One Could Repair
Nínguém poderia este ocorrido consertar

That Poor Girl
Aquela pobre Garota
Tossed By the Tides of Misfortune
Atirada por uma maré de infortúnios
Barely Here to Tell Her Tale
Aqui mal se consegue contar sua história
Rolled in On a Sea of Disaster
Surgidas em um mar de catástrofes
Rolled Out On a Mainline Rail
Estendida em uma estrada de ferro

She Once Walked Tight At My Side
Ela uma vez caminhou forte ao meu lado
I'm Sure She Walked By You
Tenho certeza que ela caminhou também junto a você
Her Striding Steps Could Not Deny
Suas passadas largas não poderiam negar
Torment From a Child Who Knew
tormentos de uma criança a quem já conhecia...

That in the Quiet Morning
Que naquela calma manhã
There Would Be Despair
Haveria muito desespero
And in the Hours That Followed
naquelas horas que se seguiram
No One Could Repair
e ninguém poderia consertar

That Poor Girl
Aquela pobre garota
She Cried Out Her Song So Loud
Ela gritava de dor suas canções tão alto
It Was Heard the Whole World Round
que se podia ouvi-las em todo o mundo
A Symphony of Violence
Uma sinfonia de violência
The Great Southwest Unbound
A grande dama do Texas*sem destino.

La La La La La La La
La La La La La La La
La La La La La La La La La
La La La La


* tradução livre

terça-feira, 18 de maio de 2010

SONHAR O BRASIL




SONHAR O BRASIL

Sonhar este país
Que dizem ser de todos
Um futuro promissor
Que as promessas ditas com tanta ênfase
Não se distanciem das palavras geradas em comunhão com todos
Brasileiros e brasileiras
Atitude como ato de perseverança é o que desejamos
O povo inconscientemente ou conscientemente já se cansa da esperança desnorteada
Convivendo por décadas com os mesmos problemas nunca vencidos
Desemprego, violência, corrupção e desrespeito ao meio-ambiente
Queremos sonhar este país sem rodeios
Ética em primeiro lugar e políticos que andem no prumo
Tempo é demais nesta espera sem rumo
Fazer valer a Justiça, Leis e a Igualdade Social
E se realmente o tão sonhado país acontecer
Finalmente este Brasil enaltecer.

No ano de 2010 espera-se que a eleição seja de renovação. O Partido dos Trabalhadores (PT) é um dos grandes responsáveis pelo atual nível de CORRUPÇÃO – poderia até usar uma frase do Presidente Lula para definir seu atual desgoverno: “NUNCA NA HISTÓRIA DESTE PAÍS”... (O QUÊ?)
RESPOSTA: Nunca na história deste país o nível de corrupção esteve tão alto...
É uma pena que o nosso povo tenha se esquecido da força da poesia para exigir melhoras políticas em nosso Brasil, como escreveu Milton Nascimento e Fernando Brant no poema “Carta à República”:

“e foi por ter posto a mão no futuro
Que no presente preciso ser duro
Que eu não posso me acomodar
Quero um País melhor.”

(Fernando Brant – Milton Nascimento, Yauaretê, CBS 1987.)

Com Dilma ou José Serra, não importa, quero apenas um País melhor.

By Roger LS - Maio 2010

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Una carta a Mercedes Sosa



Imagem do site: sisejufe.org.br

Uma Carta a Mercedes Sosa

Gran voz del Continente Sur Americano
Intérprete de vocal fuerte
Conquistó todo un continente
A través de la canción contra la opresión
Cantante de Tangos enamorados
Cantaba a los estudiantes de corazón
Aclamando el arte de la literatura
De los especialistas, del lo derecho, de la astronomia y de toda la ciencia
A los trabajadores
Que corrían a la fábrica
Conocia la necesidad del despertar
Denunciaba la tristeza de los desaparecidos
De la voz grave que entonó el himno
“Gracias a La Vida”
Honraba la vida
Luchó por su alma
Su canto era humilde para gente humilde
Cantaba nuestra gente
En la Voz fuerte también tenía espacio
Para la religión
Celebraba la fe en Dios
Misa criola católica esperanza
Aproximó la cultura brasileña de la argentina
En Milton un nacimiento de esa unión
Caetano, Djavan, Fagner, Beth y otros
En la carretera de la vida
Amistades de encuentros y despedidas
A Joan Baez “Hermana Del Camino”
De la poesía de Violeta uno afecto a Chile
Sonidos modernos del rock con Charly Garcia
Su canto llegaba a los Andes
Música folclórica andina
Interprete única de toda la cultura latino americana
Poderosa voz Gritaba: Viva Argentina, Brasil, Perú, Chile y Paraguay
Hasta la Portinari cantó
Hermana de voz grave
Ofreció su corazón, corazón libre
Pero el tiempo es más del que veloz
El Tambor paró de batir
Deseos de que el pasar de los años
No hará nadie olvidar su voz
Aunque todo cambie y todo cambia
Vientos de su alma continuarán
A agitar panelas y sueños
A florecer esperanzas
A pedir las manos de hermanos
Para garantizar la libertad
Mucho trabajo tenemos a hacer
Hasta envejecer
En el momento sólo un minuto de silencio
Seguido de un aplauso para la grande dama de la América Latina
Reina folclórica de las canciones folks del continente sur americano
Calló una voz – calló una vida
A quién a todos nosotros siempre cantó, cantó...
Pero su herencia
Proveniente de una voz que cesó
Traerá nuevas inspiraciones
Por causas sociales y al pueblo cantar
Otros artistas su carrera a imitar
Ay de nosotros sin Haydeé
Por eso duerme La Negra
Partió como pájaros en el aire
Es también necesario lamentar
Gracias , Mercedes.

Ferramenta da tradução: http://www.tradutor.cc/portugues-espanhol/
Revisado por Roger LS

quinta-feira, 29 de abril de 2010

MONTE DE PROGRESSO CONTRA A NATUREZA




MONTE DE PROGRESSO CONTRA A NATUREZA

Adeus Paulo Afonso
Adeus Sete Quedas
Adeus as quedas do Xingú Belo Monte
Cascatas de choro neste novo século
Agora atingem a floresta amazônica
Para em Pará a natureza molestar
Tudo por causa do maldito progresso
Vidas que não foram descobertas
Já serão cobertas pelas águas
Energia estúpida
Que a seca acabe com o desejo de seus recordes
Em vão sabe-se que nada valerá nossa luta
Contra empresas que movem milhões
“Ecológica hidrelétrica que não trará problemas a região”, eles afirmarão
Com qual convicção?
“Em cima de nossos estudos” – diz este absurdo
Que fizeram o melhor projeto
Monte de concreto
Monte de excremento energético.
Resta adaptar uma canção tradicional e lamentar
Por causa de mais uma usina da destruição:

What have they done to the Forest?
Just a little Indian standing in the Forest,
The gentle forest that lives for years,
And the forest is gone, the Indian disappears, and the rain keeps
falling like helpless tears,
And what have they done to the forest?


Trecho adaptado da canção “What Have they Done to The Rain?”, escrita por Malvina Reynolds e interpretada pela cantora Joan Baez no álbum Joan Baez in Concert, Vanguard 1962.

Tradução:
“O que foi feito da floresta?
Somente um índio parado na floresta,
Aquela majestosa floresta que garantia a vida por anos,
E agora, a floresta se foi e o índio desapareceu, e a chuva parece
cair como tristes lágrimas.” (Adaptação da canção de Malvina Reynolds)

By Roger LS – Sobre a polêmica hidrelétrica de Belo Monte, no Xingú – Pará.
Abril de 2010.

Monte de Progresso II

Para garantia do progresso desta nação
mais uma estúpida idéia da nossa organização.
Nova hidrelétrica do atual desgoverno
No intuito de acabar com a vida de quem ali vive.
Não aceitar referendos derrota o direito de Liberdade,
opinião repreendida
Floresta a ser destruída.
Com uma política altruísta
Planos ruidosos na calmaria da mata
A tudo mata.
Pobre índio que se diz destemido
Porém, sabem pela sua grandiosa sabedoria
Que o homem branco do progresso
Do mal é um grande arquiteto.
Alguns indígenas decretam estar em pé de guerra
Mas esta coragem para eles será como uma miragem
O monstro de concreto ao erguer-se
Tudo engolirá
Florestas, terras indígenas, povoados ribeirinhas, fauna desconhecida,
Animais sem tempo para a fuga, paraíso ecológico na derrocada
Domado por um lago
Procurar ajuda aos deuses da floresta
Amenizaria a tristeza do beija-flor?
E o nosso Deus – criador daquela região
O que pensa?
Belo Monte montará na região
Águas da destruição
Entristece o Xingú: perda de vazão
Paraíso perdido
Para o todo e sempre – infelizmente.

By Roger – Abril 2010.

quarta-feira, 28 de abril de 2010

DESEJOS DA FÉ




Desejos da Fé
1.
No horizonte da vida
Peço a proteção divina
2.
Hoje tenho Deus a meu lado
O que me deixa sossegado
3.
Mas se o amanhã a Deus pertence
Faço fé nesta corrente.
By Roger LS

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Paulo Leminski




de som a som
ensino o silêncio
a ser sibilino


de sino em sino
o silêncio ao som
ensino

Paulo Leminski


sábado, 10 de abril de 2010

Ventos da Mudança


Ventos da Mudança

Mudar a vida
Valer a despedida
Deixar no passado
O que era atraso
Assim positivamente
Viver o presente
Para num sentido mais agudo
Mudo
E seguindo de passo a passo
Um novo compasso
Maestro de uma nova orquestra
Para a vida nova chance sequestra
Garantia de um novo amanhã
Independe de um talismã
No ar a mudança
Com o vento se alcança.

By Roger LS

sábado, 27 de março de 2010

JOAN BAEZ VOLTA A CANTAR EM PORTUGUÊS

Cantando com auxílio do público, em português galego,o poema Adios Rios, Adios Fontes de Rosalia de Castro e musicado por Amancio Prado, a cantora estadunidense Joan Baez cantou novamente em português.
O concerto foi realizado na cidade de Vigo, Espanha, em 05 de março de 2010.

Fonte: http://www.youtube.com/watch?v=Nr48AGUaCSk




Adios Rios, Adios Fontes

Adiós ríos, adiós fontes,
adiós regatos pequenos,
adiós vista dos meus ollos,
non sei cando nos veremos.

Miña terra, miña terra, terra onde me eu criei,
hortiña que quero tanto, figueiriñas que plantei.
Prados, ríos arboredas, pinares que move o vento,
paxariños piadores, casiña do meu contento.
Muíño dos castañares, noites claras de luar,
campaniñas timbradoras da igrexiña do lugar.
Amoriñas das silveiras que eu lle daba ó meu amor,
camiñiños entre o millo.
!adiós para sempre, adiós!

¡Adeus, gloria!¡Adeus contento!
¡Deixo a casa onde nacín, deixo a aldea que coñezo
por un mundo que non vim!

Em Portugal no Coliseu de Lisboa, Joan cantou duas canções em português: Grandola Vila Morena, considerado o hino pela democracia em Portugal e O Cangaceiro, música de Alfredo Ricardo do Nascimento.

Grandola Vila Morena (Zeca Afonso)

Grândola, vila morena Terra da fraternidade O povo é quem mais ordena Dentro de ti, ó cidade Dentro de ti, ó cidade O povo é quem mais ordena Terra da fraternidade Grândola, vila morena Em cada esquina um amigo Em cada rosto igualdade Grândola, vila morena Terra da fraternidade Terra da fraternidade Grândola, vila morena Em cada rosto igualdade O povo é quem mais ordena À sombra duma azinheira Que já não sabia a idade Jurei ter por companheira Grândola a tua vontade Grândola a tua vontade Jurei ter por companheira À sombra duma azinheira Que já não sabia a idade


Em 1963 Joan Baez cantou pela primeira vez em português interpretando a canção Manhã de Carnaval (de José Maria Bonfá) e Te ador (de repertório tradicional). No álbum In concert Vol. I Joan cantou Até Amanhã (também de repertório tradicional). O auge de sua investida em português foi em 1964 quando gravou em estúdio as canções : O cangaceiro e a ópera Bachinas Brasileiras Ària N.5, de Heito Villa-Lobos e poema de Ruth Correa

quarta-feira, 17 de março de 2010

Carta a Mercedes






Carta a Mercedes Sosa

Grande voz da América Latina
Intérprete de vocal forte
Conquistou todo um continente
Através da canção
Contra a opressão
Cantora de Tangos enamorados
Cantava aos estudantes de coração
Aclamando a arte da literatura
De especialistas, do direito, astronomia e de toda a ciência
Aos trabalhadores
Que corriam às fábricas
Tinha ciência da necessidade do despertar
Denunciava a tristeza dos desaparecidos
Da voz grave que entoou o hino ao gosto de viver
Honrava a vida
Lutou por sua alma
Seu canto era humilde para gente humilde
Cantava a nossa gente
Na Voz forte também tinha espaço
Para a religião
Celebrava a fé em Deus
Missa criola católica esperança
Aproximou a cultura brasileira da argentina
Em Milton um nascimento dessa união
Caetano, Djavan, Fagner, Beth e outros
Na estrada da vida
Amizades de encontros e despedidas
A Joan Baez “Hermana Del Camino”
Da poesia de Violeta um afeto ao Chile
Sons modernos do rock com Charly Garcia
Seu canto chegava aos Andes
Música folclórica andina
Interprete única de toda a cultura latinoamericana
Poderosa voz
Gritava:
Viva a Argentina, Brasil, Peru, Chile e Paraguai
Até a Portinari cantou
Hermana de voz grave
Ofereceu seu coração, coração livre
Mas o tempo é mais do que veloz
O Tambor parou de bater
Desejos de que o passar dos anos
Não fará ninguém esquecer sua voz
Mesmo que tudo mude e tudo muda
Ventos de sua alma continuarão
A agitar panelas e sonhos
A florescer esperanças
A pedir as mãos de irmãos
Para garantir a liberdade
Muito trabalho temos a fazer
Até envelhecer
No momento apenas um minuto de silêncio
Seguido de um aplauso a grande dama das Américas
Rainha folclórica das canções folks do continente sul americano
Calou uma voz – calou uma vida
A quem a todos nós sempre cantou, cantou...
Mas sua herança
Proveniente de uma voz que cessou
Trará novas inspirações
Por causas sociais e ao povo cantar
Outros artistas a sua carreira a imitar
Ai de nós sem Haydeé
Por isso dorme La Negra
Fosse embora como pássaros no ar
É também preciso lamentar
Gracias , Mercedes.

By Roger LS - 17.03.2010

TRIBUTO A MERCEDES SOSA




















TRIBUTE TO MERCEDES SOSA
Sunday, April 25, 2010 7:00 PM
Avery Fisher Hall

This concert is a tribute to the Argentine doyenne of Latin American singers who inspired millions of listeners around the world. She built a universal reputation by putting her political and social concerns together with her music. An international ensemble of fellow artists who will honor her music and persona are: Joan Baez, Guadalupe Pineda, Tania Libertad, Lucecita Benitez, Maridalia Hernandez, Facundo Cabral, Piero, Leon Gieco, among many others who share in this devotion for Mercedes Sosa and her music. Together for the first time on stage in New York City, they will honor her captivating life.
Fonte: http://www.lincolncenter.org/show_events_list.asp?eventcode=24423
http://joanbaez.com


Tributo a Mercedes Sosa

Será realizado no dia 25 de abril de 2010, no Avery Fisher Hall – New York
Este tributo a argentina Mercedes Sosa, uma das mais respeitadas senhoras do cenário musical na América Latina inspirou milhões de seguidores pelo mundo. Ela construiu uma reputação internacional ao juntar sua visão política e interesses sociais combinados ao seu talento musical. Um grupo de artistas similares ao estilo de Sosa , de renomes internacionais, farão homenagem a música e a vida de Mercedes entre elas estão: Joan Baez (Estados Unidos), Guadalupe Pineda (Mexico) , Leon Gieco (Argentina), entre muitos outros ao qual compartilharão este tributo. Juntos pela primeira vez em um palco na cidade de Nova Iorque, eles honrarão sua encantadora vida. (Tradução By Roger LS)

segunda-feira, 8 de março de 2010

Poema de Richard Farina para Mimi Farina






(Traduzido do Original: “The Fields near the Cathedral at Chartres” by Richard Farina)

“Tal como brisa que agora estremece o pomar
Abundante como poesia e cheio de razões sombrias
Pensamentos e gestos elevam sua cabeça
Sua inesperada dança é livre de todo propósito
Jovem garota, você escolhe o movimento âmbar de seu desejo
Desprenda-o como mecanismo da roda e
Dê um passo à frente. Enquanto em sua investida de luta
Eu saberei o conto do seu livro de corpo escuro.”

Original:
And now as breezes shudder in the orchard
Thick with rhyme and loosed of somber reason
Thought and motion raise their head as one
Your sudden dance is free of all design
Young girl, you choose the amber coil of wish
Unlocked it with the cocking of a heel
and stepped away. While in the anger of flight
I know the tale in your dark body´s book.

By Richard Farina
Tradução por Rogerio LS
Fonte: Positively 4th Street, by David Daydu


Richard Farina, cantor e compositor americano que fez dupla com Mimi Baez Farina, em meados dos anos 60, incorporando o folk tradicional ao blues e ao rock. Conhecido como um dos criadores do Folk-rock juntamente com The Byrds e Bob Dylan. Também se destacava sua habilidade em tocar um instrumento de quatro cordas conhecido como dulcimer. Como escritor escreveu em 1966 o livro “Tanto Tempo na Pior que o que Pintar é uma boa” acrescentando mais um clássico a literatura beat (Jack Kerouac, Thomas Pynton, Allen Ginsberg) . Morreu em 1966 num acidente de moto.


Mimi Farina irmã de Joan Baez gravou três discos com Richard Farina : Celebrations for a Grey Day and Reflections in a Crystal Wind. (1965) e Memories (1968), em 1971 formou dupla com o cantor Tom Jans (lançando o álbum Taken Heart) e somente em 1985 lançaria seu disco: Mimi Farina: Solo. Mas o trabalho mais importante de sua vida foi a fundação de uma Instituição que trabalhou pelos direitos humanos e que atuava no estado da Califórnia – EUA, de nome Bread and Roses. Sua função era promover dignidade em prisões e hospitais levando a música e outras formas de cultura aqueles lugares. Morreu em 2001 vítima de câncer endócrino.

quarta-feira, 3 de março de 2010

REDENTOR!






















Na cruz o Salvador
Na terra a humanidade
No céu a esperança
Nos caminhos espinhos
Nos sonhos anjos
que nos conectam ao Criador
Nos pensamentos
muitas lutas, poucas vitórias
Na vida sustento a
realidade por necessidade
Da caneta escrevo idéias
que vem a cabeça
No papel o vazio
agora preenche...
Uma palavra
Um poema
Uma oração
Por causa da dor
Súplicas ao Redentor!


By Roger LS
2010

VASTIDÃO



Límpido céu sobre a água
onde azuis se misturam
vejo que a imensidão
do mar e do espaço
ampliam o sentido da
palavra solidão
Gaivotas seguem um rumo
em busca de novos ares
nova estação
No horizonte do oceano
a vastidão
Ar e água
Céu e Terra
em perfeita união.


By Roger LS
2010

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

BOB DYLAN E JOAN BAEZ NA CASA BRANCA

Os cantores Bob Dylan, Joan Baez , John Mellecamp, Freedom Singers entre outros participaram no dia 09 de fevereiro do Show ao vivo na Casa Branca: Uma celebração da música pela causa dos Direitos Civis. Após inflamado discurso de Obama sobre a importância do movimento pelos direitos civis, destacando a importância da música que mudou a história americana na famosa marcha à Washington em 1963, liderado pelo pastor Martin Luther King.
"It's hard to sing in times like that. But times like that are precisely when the power of song is most potent. Above the din of hatred; amidst the deafening silence of inaction; the hymns of the civil rights movement helped carry the cause of a people and advance the ideals of a nation. Bernice Johnson Reagon knew this. One day when she was young, she was sitting in church when a local sheriff and his deputies showed up to intimidate the congregation. "They stood at the door," Bernice wrote, "making sure everyone knew they were there. Then," she said; "a song began. And the song made sure that the sheriff and his deputies knew that we were there." Joan Baez and Bob Dylan knew this. One day in 1963, they joined hundreds of thousands on the National Mall and sang of a day when the time would come; when the winds would stop; when a ship would come in. They sang of a day when a righteous journey would reach its destination." Remarks by the President Obama at "In Performance at the White House: A Celebration of Music from the Civil Rights Movement" (President Obama, 02/09/2010)
Joan Baez cantou o Hino do movimento civil "We Shall Overcome" e Bob Dylan sua majestosa composição "The Times They are a-Changing".
video
video

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

ACÚSTICA - ODE À FOLK MUSIC

ACÚSTICA

Na voz suave palavras se consagram
A cada nota entoada harmonias encantam
E um som preenche o vazio eliminando o
silêncio que destoava o tempo e o espaço
No ritmo que embala a vida
Vocais da humanidade
Cantam à Liberdade
Auxiliados por cordas que almejam a
Pureza da sonoridade acústica
Confraternizam ecos cujos sons escapam da partitura
Mas que de certa forma são captados
Para o eterno registro.

Roger L S
Janeiro 2010

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

LOCOMOTIVA DA VIDA

Motivar a esperança

Despedaçada na estrada da vida

perdida sem direção

na encruzilhada

Um destino, talvez, muitos caminhos

Se Dúvidas,

Sigo na reta da esperança

Motivada não pela caminhada que é árdua

Mas pela locomotiva que é forte

Com força sigo o caminho

E se no final da reta

Um abismo

Darei asas à Locomotiva

Então a estrada será a Liberdade

Que através dos sonhos

encontra seu destino.

Roger L. - 2009


sábado, 9 de janeiro de 2010

HAPPY BIRTHDAY - JOAN BAEZ

HOW SWEET THE SOUND



Hoje, dia 9 de janeiro Joan Baez completa 69 anos.


Parabéns à cantora folk.


Em 2009, entre os grandes lançamentos, está o DVD/CD do documentário e especial de TV

How Sweet the Sound, da série American Masters.